Portais da Cidade

Notícias na Santa Ifigênia

Listando: 16 à 20 de 1188
Aprenda quatro maneiras de aproveitar a câmera do seu smartphone

Com os recursos existentes hoje, é possível ir além de selfies e vídeos rápidos

Mesmo se você não tiver o melhor e mais moderno dos smartphones, as ferramentas para fotografias podem ir além das mais comumente usadas, como o modo retrato e vídeos rápidos. Com um sistema operacional razoavelmente atualizado, você pode ter sessões de fotos ativadas por voz, criar imagens em formato panorâmico, gravar vídeo em diferentes velocidades de reprodução e até fazer pesquisas na internet a partir de uma imagem.
O conjunto de recursos exato, é claro, depende do software da câmera que você está usando e também do hardware do seu celular. Confira abaixo quatro dicas de como aproveitar os recursos dos aplicativos de câmera do Google (para Android) e da Apple (para iPhones).

Tire fotos sem usar as mãos
A assistente virtual do seu smartphone pode controlar parte do trabalho de captura de imagem. Com a assistente do Google, por exemplo, basta dizer "Ok, Google, tire uma foto" ou "Ok, Google, tire uma selfie" e a câmera será ativada - ela exibirá uma contagem regressiva e tirará a foto. Você também pode pedir à assistente para compartilhar as fotos, começar a gravar um vídeo, entre outras coisas. A assistente do Google está disponível para Android e iOS.

A Siri, assistente da Apple, também responde a muitos pedidos. O software abre o aplicativo de câmera do iPhone se você disser "E aí, Siri, tire uma foto", mas fica com você a tarefa de tocar no botão para tirar a foto. Os telefones com iOS 12 ou posterior podem usar o aplicativo Shortcuts gratuito da Apple para estabelecer comandos que a Siri pode executar quando instruída - como abrir a câmera e enviar a imagem automaticamente por e-mail depois de tirar a foto.

A Bixby, assistente presente em muitos aparelhos Galaxy, da Samsung, também tira fotos e grava vídeos sob comando.

Aproveite o modo panorâmico
Quer tirar uma foto que é grande demais para o espaço do visor da câmera? Não é preciso um aplicativo extra ou um celular com lente grande angular: basta usar o modo panorâmico da câmera. Com a ferramenta, é possível tirar uma série de fotos e o software as combina em uma única imagem.

No Android, abra o app de câmera do Google e deslize para a esquerda ao longo do menu horizontal na parte inferior da tela. Toque no botão Modos, selecione Panorama e pressione o botão do obturador enquanto move lentamente o telefone para capturar a imagem. No aplicativo de câmera do iPhone, deslize para a esquerda, selecione Pano e siga as instruções na tela. Você também pode pedir às assistentes de voz para abrir a câmera diretamente no modo panorâmico.

O menu Modos no Android também inclui uma opção chamada Photo Sphere para realizar uma volta completa e capturar uma cena em 360 graus. Para usar essa função, toque no botão do obturador e deixe o software guiá-lo. Aqui vale uma observação: embora o modo Pano para iOS não chegue a 360 graus, o aplicativo Google Street View possibilita o modo Photo Sphere no iPhone.

Altere a velocidade do vídeo
Tanto no celular Android quanto no iPhone é possível incluir modos para adicionar efeitos cinematográficos ao seu vídeo. A opção time lapse acelera a reprodução de eventos lentos, como o pôr do sol ou tempestades. Já a função de câmera lenta grava em velocidade normal e diminui a velocidade da ação no clipe gravado, o que dá um tom de drama aos vídeos.

Para acessar as configurações no app de câmera do Google, deslize para a esquerda no menu horizontal até Vídeo e selecione o modo de gravação - câmera lenta, normal ou time lapse - junto com a velocidade desejada; ritmos menores, como 5x, geralmente são melhores para gravações mais curtas. No aplicativo da Apple, deslize para a direita no menu até chegar a time lapse ou câmera lenta; toque no botão de alternância rápida no canto superior para ajustar a resolução e a velocidade.

Manter o telefone parado, sem mexer, resulta em um vídeo com time lapse melhor, então considere um tripé se você não tiver um lugar para apoiar o dispositivo. E a câmera lenta normalmente funciona melhor em ambientes externos, longe de certos tipos de iluminação interna que podem causar oscilações no vídeo.

Pesquise informações a partir de uma imagem
O Google Lens é um aplicativo de reconhecimento de imagem movido por inteligência artificial. Ele pode já estar instalado no seu celular, já que faz parte do cardápio de plataformas para Android. Quem tem um iPhone pode encontrá-lo no Google Fotos ou no Google app. Além disso, a Samsung tem um aplicativo Bixby Vision semelhante para seus telefones.

Quando você aponta sua câmera para algo (ou abre uma foto que você já tirou) e toca no ícone quadrado do Google Lens, o software analisa a imagem e procura informações relacionadas por meio de sua conexão com a internet. O Google Lens é capaz de identificar animais e plantas, pesquisar produtos, reconhecer pontos de referência e muito mais.

O Google Lens também pode traduzir texto em uma imagem e usa realidade aumentada para mostrar as palavras em seu idioma preferido. Não é bem um "tradutor universal" como aquele das histórias de ficção científica, mas está chegando lá.

/TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

(Fonte: J.D. Biersdorfer) - 25/01/2021
PayPal movimenta US$ 240 milhões em criptomoedas em um dia

A plataforma de pagamentos PayPal quebrou seu recorde de volume diário movimentado em criptomoedas

O PayPal quebrou seu recorde de volume movimentado em criptomoedas neste último domingo (10), chegando aos US$ 242 milhões transacionados. O novo marco da plataforma de pagamentos online ocorre principalmente pelas altas e quedas do bitcoin, que fizeram muitos usuários comprarem e venderem o ativo digital.



PayPal (Imagem: Divulgação/PayPal)
Foto: Tecnoblog

O novo máximo representa quase que o dobro do recorde anterior do PayPal, de US$ 129 milhões, registrado na semana anterior. Os números foram coletados pela provedora de dados Nomics e, na realidade, vem da corretora itBit, que o PayPal utiliza para comprar e vender ativos digitais.

Por mais que a plataforma de pagamentos não seja 100% responsável por todo o volume movimentado pela exchange de criptoativos, o montante transacionado nunca havia ultrapassado os US$ 5 milhões antes do PayPal fechar a parceria.



Volume movimentado em criptoativos em uma semana pela itBit (imagem: reprodução/Nomics)
Foto: Tecnoblog

PayPal facilita entrada de novos investidores
O volume diário de criptomoedas movimentado pela plataforma aumentou 942% desde o início do ano, de US$ 22,8 milhões para o seu pico recorde no domingo. O grande salto nas negociações diárias ocorreu ainda durante os altos preços do bitcoin após bater seu recorde de mais de US$ 41 milhões, mas também logo antes da sua maior queda diária já registrada. É incerto dizer se as movimentações foram majoritariamente de compra ou venda do ativo, essas especificações não foram divulgadas.

Contudo, é consenso no mercado dizer que o PayPal facilitou a entrada de novos investidores do varejo para comprar e vender criptomoedas através da já popular e amplamente utilizada plataforma de pagamentos online. As sucessivas máximas históricas do bitcoin neste ano também chamaram a atenção de novos compradores em potencial.

Bitcoin sofre maior queda diária, mas se recupera
O volume movimentado não apenas pelo PayPal, mas também em todo o mercado, diminuiu ao longo desta semana, quando a febre dos recordes de preço do bitcoin passou e a criptomoeda apresentou sua maior queda diária da história, chegando ao mínimo de US$ 30,5 milhões na segunda-feira. Porém, o ativo teve uma valorização de 10% apenas duas horas após atingir sua mínima, e segue em recuperação gradual até o momento.

Microsoft, pilhas para o Xbox e a liberdade de escolha

Polêmica sobre por que os controles dos consoles Xbox ainda usam pilhas levantam a pergunta: é vantajoso sempre ter opções de escolha?

Na última semana, uma entrevista concedida por um executivo da Duracell deu uma possível explicação do por que a Microsoft continua fazendo com que os controles Xbox funcionem com pilhas, ao invés de adotar uma bateria interna. A companhia desmentiu a existência de um acordo entre as partes, e reafirmou seu compromisso de oferecer liberdade de escolha aos consumidores.

Essa questão divide jogadores a muito tempo. Há quem ache legal, há quem não goste, mas quem tem razão? Todo mundo, na verdade.


Controle do Xbox Series X|S
Foto: Divulgação/Microsoft / Meio Bit

Quando a Microsoft introduziu o Xbox 360 em 2005, ela foi a primeira companhia a lançar um console de mesa que usava controles sem fio, que se comunicavam com o console através de um protocolo proprietário, usado até o Xbox One original. Hoje a companhia faz como a Sony, e seus controles usam Bluetooth.

Se a forma de comunicação entre o controle e o console mudou, o mesmo não pode ser dito da alimentação dos mesmos. Desde o início e até hoje, com os controles para Xbox Series X|S, a Microsoft adota as boas e velhas duas pilhas AA, de preferência alcalinas, para uma maior durabilidade. A empresa se guia pela lógica de que todo mundo tem que comprar pilhas para os controles remotos de TVs e outros aparelhos, logo, por que não mais um?

Só que um ano depois, a Sony apresentou o PlayStation 3 com controles DualShock 3 também sem fio, mas sem a opção de pilhas. Em seu lugar, o jogador conecta fisicamente o acessório ao console, ou a um PC, com um cabo USB, para carregar a bateria embutida interna.

Assim como a concorrente, a Sony nunca cogitou mudar esse formato e o mantém até hoje, com os novos controles DualSense do PS5.



Sony optou por controles recarregáveis, do DualShock 3 ao DualSense
Foto: Ronaldo Gogoni/Meio Bit / Meio Bit

A "Guerra dos Controles"

Como fanboy é um bicho muito estranho, essa diferenciação bastou para defensores do Xbox 360 e do PS3 se digladiarem por anos, em defesa da solução adotada por seu console de estimação como "a melhor", e esse arranca-rabo perdurou durante o ciclo de vida do Xbox One e do PS4.

É certo que os mais xiitas continuam brigando na atual geração de consoles. Do lado da Nintendo, o Wiimote também usava pilhas AA, enquanto que o Gamepad do Wii U dependia de uma bateria proprietária. No Switch, os Joy-cons são carregados pelo console ou pelo Charging Grip, quando conectados ao dock do modelo original.

A Microsoft nunca deu maiores explicações sobre por que opta por pilhas ao invés de baterias internas, se limitando a defender a liberdade de escolha do cliente. No entanto, em entrevista ao site Stealth Optional, o gerente de marketing da Duracell para o Reino Unido Luke Anderson disse que sua empresa e Redmond possuem um acordo de parceria de longa data.



Não tem Xbox na Matrix (o primeiro console foi lançado em 2002), mas Duracell, com certeza (Foto: Reprodução/Warner Bros. / Meio Bit

A Microsoft nega, e diz que o motivo é outro:

"Nós (a Microsoft) oferecemos intencionalmente a opção de escolha para os consumidores, sobre qual solução de alimentação usar com os controles sem fio Xbox. Isso inclui pilhas AA de qualquer marca, a bateria recarregável Xbox, soluções de recarga de nossos parceiros, ou um cabo USB-C, que pode fornecer energia ao controle quando conectado ao console ou PC (para o caso de não usar pilhas ou baterias)."
De qualquer forma, a Duracell de fato veicula comerciais onde destaca a vantagem de seus produtos, ao serem usados nos controles Xbox, citando inclusive o serviço Xbox Game Pass:



Pilhas, baterias e outras opções
A defesa da liberdade de escolha pela Microsoft tem seus motivos. Por um lado, usar pilhas comuns com o controle significa que o usuário terá que adquirir novas de tempos em tempos, e correr o risco de ficar sem energia no meio de uma partida. Além disso, há o lance de que as pilhas não são produtos ecologicamente corretos para os tempos atuais.

A própria Microsoft oferece uma opção alternativa, na forma do Xbox Play & Charge. Trata-se de um kit com uma bateria recarregável e um cabo USB (lembrando, os consoles Xbox não enviam um, pois o usuário a princípio deve usar pilhas), para que ela possa ser recarregada mantendo o controle conectado ao console ou ao PC.

É um acessório opcional que representa um custo extra, se comparado à bateria embutida de um controle DualShock/DualSense, mas é uma boa para quem prefere evitar ter de comprar pilhas frequentemente. Por fim, a bateria do Xbox One também serve nos controles Xbox Series, com exceção do cabo. Enquanto o controle da geração anterior possui uma porta microUSB, os novos contam com uma USB-C.



Xbox Play & Charge, kit com bateria e cabo USB é opcional
Foto: Ronaldo Gogoni/Meio Bit / Meio Bit

Outra opção, que pode ser vantajosa para alguns usuários, é usar pilhas recarregáveis ao invés das alcalinas comuns. O investimento costuma ser um pouco alto (o preço gira em torno do valor de um kit Play & Charge), fora a necessidade de adquirir o carregador, mas a versatilidade é um ponto positivo.

Para aqueles que usam outros eletrônicos movidos a pilha, contar com uma quantidade de pilhas recarregáveis pode representar uma boa economia de capital a médio prazo, antes de trocá-las por novas.

Em geral, uma pilha do tipo dura até 3 anos.



Sim, a Duracell também vende pilhas recarregáveis
Foto: Divulgação/Duracell / Meio Bit

Por outro lado, alguns fabricantes estão aos poucos abrindo mão de pilhas em acessórios fora do mercado gamer, falando especificamente de controles remotos. A primeira a pular fora, para variar, foi a Apple com o Siri Remote, o controle da Apple TV.

O modelo original usava uma bateria CR2032 comum, aquela que parece uma moeda e alimenta vários tipos de eletrônicos, principalmente relógios. O controle remodelado passou a usar carregamento via porta Lightning, ao conectar o acessório a um computador ou à caixinha da maçã.



Apple Siri Remote: controle remoto com carregamento via porta Lighting
Foto: Divulgação/Apple / Meio Bit

A Samsung está entrando agora na onda, com seu novo controle remoto que pode ser carregado por energia solar ou via USB, abrindo mão das pilhas. Não se sabe, no entanto, se esse modelo será reservado às TVs mais caras da empresa, como foi nos anos anteriores, ou se ele será universal, e virá incluído também nos modelos de entrada.

A Sony tem um ponto por oferecer uma solução de simples uso, que não depende do consumidor correr no mercado para comprar pilhas. Basta tirar o PS5 da caixa, ligar e jogar, já que o controle DualSense vem com uma pré-carga. Por outro lado, qualquer problema na bateria praticamente inutiliza o joystick, e se isso acontecer fora da garantia, o consumidor terá que gastar R$ 499 para comprar outro.

Por um lado, a decisão da Microsoft de se manter agarrado às pilha parece anacrônica, mas o consumidor pode optar por usar uma bateria recarregável, seja oficial ou não, comprar pilhas recarregáveis ou mesmo nada disso, preferindo jogar com o cabo conectado.

Nesse ponto, Redmond reforça sua decisão democrática, em que o jogador decide como usar seu próprio controle Xbox.

(Fonte: Ronaldo Gogoni - Meio Bit) - 12/01/2021
Como encontrar uma pessoa só pela foto

Saiba como encontrar uma pessoa só pela foto rapidamente usando sites que oferecem métodos de pesquisa reserva

Imagine esse cenário: você obteve legalmente a foto de alguém mas não sabe o nome daquela pessoa e tampouco como encontrá-la na internet. Felizmente, existem alguns métodos que permitem contornar esse "problema" usando uma única imagem. A seguir, vou te mostrar como fazer isso.

Como encontrar pessoas com o Google Imagens
Além do Google ser o principal mecanismo de busca de todo o mundo, a plataforma também pode ser usada para encontrar pessoas através de uma foto. Isso só é possível graças a uma ferramenta disponível no Google Imagens.

Abra o navegador e acesse images.google.com.br;
Clique no ícone de câmera;

Escolha a forma de envio — é possível colar a URL de uma imagem ou selecionar um arquivo armazenado no computador;
Optando pelo segundo método, clique em "Envie uma imagem" e depois em "Escolher arquivo".
A partir deste momento, o Google mostrará uma série de fotos semelhantes, além de links para sites que podem conter uma cópia exata da imagem desejada, facilitando a procura pela identidade daquela pessoa, principalmente se o arquivo estiver armazenado em uma rede social.

Como encontrar pessoas com o TinEye
Apesar de não fornecer resultados tão variados quanto os do Google, o TinEye também é uma ferramenta muito útil para encontrar imagens semelhantes na internet. Além disso, ele tem uma vantagem com relação ao gigante das buscas: a pesquisa pode ser feita em celulares e tablets.

O funcionamento é praticamente o mesmo: uma pesquisa reversa será feita e, em poucos segundos, fotos semelhantes serão exibidas. O TinEye também mostra quando a imagem foi encontrada pela primeira vez e um link para o site que ele está indexada. Ou seja, ele pode ser uma alternativa interessante ao Google Imagens.

Veja abaixo como encontrar uma pessoa só pela foto usando o TinEye:

Abra o navegador e acesse tineye.com;
Insira o link da imagem ou clique em "Envio" para fazer o upload;
Aguarde para que o site mostre as imagens correspondentes e outras informações.
Pronto, agora você já sabe como encontrar uma pessoa só pela foto.

(Fonte: Wagner Pedro - Tecnoblog) - 07/01/2021
Bitcoin acima de R$ 210 mil, Tesla deixada para trás e Nano valorizando 207% em um dia

A quinta-feira (07) começou com o Bitcoin (BTC) ultrapassando a marca dos R$ 210 mil, deixando a Tesla para trás, e com a incrível valorização da criptomoeda Nano.

Para quem achava que 2020 foi intenso para as criptomoedas, 2021 já começou frenético, com recordes e mais recordes sendo quebrados dia após dia (e ainda estamos na primeira semana do ano).

Mas vamos por partes.

O preço do Bitcoin
A principal criptomoeda do mercado já fez de quebrar máximas históricas um hábito quase que diário nas últimas semanas, e registrou hoje um novo recorde, em R$ 218 mil reais.

O preço em dólares também é impressionante. A moeda está batendo na porta dos US$ 40 mil, com uma máxima de US$ 39.789 até o momento da escrita deste artigo.

A forte ascensão levou a capitalização de todo o mercado cripto a superar, pela primeira vez na história, o valor de US$ 1 trilhão.

Tesla ficou para trás
Há menos de 20 dias, Mike Novogratz, bilionário e presidente-executivo da gestora de ativos Galaxy Digital, disse que não demoraria para o Bitcoin ultrapassar o valor de mercado da Tesla.

A previsão era de 6 meses, e na ocasião em que foi feita, o valor de mercado do Bitcoin estava em US$ 500,7 bilhões, enquanto a Tesla estava em US$ 630 bilhões.

Acontece que a empresa de Elon Musk, que acaba de se tornar o homem mais rico do mundo, já foi passada para trás.

É, levou menos de um mês para que o valor de mercado do Bitcoin saísse dos 500 bilhões de dólares e chegasse aos US$ 735 bilhões atualmente.

Nano passando por forte alta no preço
No mundo das altcoins, além do sucesso de moedas com grande valor de mercado, como Ethereum, Litecoin e outras, está a Nano, com uma alta de 540% no últmo ano.

Lançada em 2014, a moeda que possui transações instantâneas e taxa zero conta com uma comunidade dedicada, e de ontem para hoje, já valorizou 207%, saindo de US$ 1,54 para US$ 4,73 atualmente, segundo dados do CoinMarketCap.

O ativo parece estar seguindo a onda liderada pelo Bitcoin, que tem impulsionado todo o mercado cripto.

(Fonte: Por Viviane Nogueira) - 07/01/2021
Listando: 20 de 1188

Anuncie

Sobre o Portal da Santa Ifigênia

O Portal da Santa Ifigênia foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Santa Ifigênia no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de eletro-eletrônicos.