SHEIK CFTV

Notícias na Santa Ifigênia

Listando: 11 à 15 de 1198
Como ficar famoso no TikTok

Aumentando seu público; saiba como ficar famoso no TikTok e quais são as melhores dicas para obter sucesso na plataforma

Nem todos os usuários têm o objetivo de, somente, diversão dentro do aplicativo de compartilhamento de vídeos. Veja abaixo, como ficar famoso no TikTok e ampliar o seu público criando maior engajamento. As iniciativas para ampliar o público, junto com as técnicas para monetizar seu perfil no TikTok são as ferramentas necessárias para determinar o sucesso na plataforma.


Como ficar famoso no TikTok
Foto: Josh Rose/Unsplash / Tecnoblog

1. Conheça e estude seu público
A análise é um ótimo recurso para obter insights sobre seus vídeos mais populares e interação com o público. Para isso, veja sua lista de seguidores, curtidas e comentários em vídeos, levando tudo em consideração. Outro objetivo primário é Interagir com o público lendo, reagindo e respondendo aos comentários, sem discriminação.

2. Colabore com os demais criadores de conteúdo
O TikTok é uma comunidade de criadores. Colaborar com outros criadores vai ajudar seu conteúdo a alcançar um público maior. Aproxime-se de outros criadores interessantes, mas antes disso, leve em consideração os fatores:

Categorias e gêneros de conteúdo similares;
Formatos de vídeo parecidos;
Tamanho do público próximo ao seu.
3. Faça contato com outros usuários
Após identificar parceiros interessantes, certifiquem-se de estarem seguindo um ao outro. Comente e interaja com o conteúdo deles, isso cria intercâmbio de seguidores. Converse ou marque um encontro no TikTok ou em eventos de criadores, por enquanto fique no virtual.



Com 95 milhões de seguidores, Charli é exemplo
Foto: TikTok Charli DAmelio/Divulgação / Tecnoblog

4. Participar de desafios e hashtags populares
Hashtags populares são uma maneira criativa de encontrar novos tópicos que vão expor seu conteúdo a mais espectadores. Participar de desafios também ajuda a interagir com a comunidade.

Junto com as parcerias é possível pensar em formas de criar esses eventos, aparecer ou fazer uma participação breve nos vídeos um do outro ou marcarem-se simultaneamente em legendas e desafios.

5. Utilize a alavancagem de outras redes sociais
Publique seus vídeos do TikTok em outras contas de mídia social, dessa forma o seu público que está isolado em outra plataforma, pode migrar para seu TikTok.

Compartilhe links de seus vídeos do TikTok com amigos e espectadores de fora da plataforma. Seu objetivo é ampliar o público, trazer novos usuários para o TikTok é uma boa tática.

Com essas dicas fica mais fácil ficar famoso no TikTok, além disso, criar uma estratégia de postagens estruturada e respeitar os prazos, fazem qualquer mídia social "bombar". Boa sorte.

Mercado Pago agora oferece Pix com taxa zero para pequenos negócios

Para o Mercado Pago, isenção de taxa no Pix vale para autônomos, MEI e lojistas que não fazem parte de redes ou grande varejo

O Mercado Pago anunciou nesta segunda-feira (12) a isenção da taxa cobrada a pequenos negócios, quando a venda é concretizada com pagamento via Pix. A novidade vale tanto para lojistas em estabelecimentos que recebem de seus clientes por QR code em um placa, como para as maquininhas de cartão tradicionais da empresa e que são chamadas de Point.



Máquina de cartão do Mercado Pago
Foto: Divulgação / Tecnoblog

Se por um lado o Pix é uma forma de pagamento sem custos para os consumidores e clientes, na outra ponta as empresas e lojistas são cobrados e o valor repassado depende de cada instituição financeira. O Mercado Pago utiliza uma taxa de 0,99% para a quantia total de qualquer venda, que a partir desta semana deixa de ser cobrada para autônomos de pequenos negócios, MEIs e microempreendedores.

A fintech esclarece que para ser considerado pequeno negócio, o comerciante não pode fazer parte de uma rede e nem estar inserido em um grande varejista.

"Ao zerar a taxa, potencializamos o poder do Pix de gerar mais eficiência de caixa, incremento das vendas e maior rentabilidade para os negócios. Essa decisão irá apoiar milhares de pequenos empreendedores brasileiros que precisam manter seus negócios ativos e a renda de suas famílias em meio à pandemia", comenta Rodrigo Furiato, responsável pela carteira digital do Mercado Pago.

Para o lojista, receber por Pix pode ser interessante para evitar o tempo necessário para o dinheiro entrar na conta. Nesta modalidade o valor fica imediatamente disponível dentro do perfil, pronto para qualquer tipo de uso e rendendo 100% do CDI enquanto estiver parado.

Pix terá custos se o ponto deixar de ser pequeno negócio
Ao Tecnoblog, o Mercado Pago afirma que, se durante o período da isenção o comerciante deixar de ser enquadrado como pequeno negócio, ele retorna automaticamente para a cobrança de 0,99% para o valor total da transação, mas poderá ter 30 recebimentos antes do custo começar a aparecer no extrato.

Para transações realizadas entre contas da carteira digital da fintech, continua em vigor a isenção para a taxa de 0,99%. O Mercado Pago também afirma que a queda no valor arrecadado com a tarifa deve ser compensado com outros serviços fornecidos pela fintech.

Segundo dados levantados pelo Banco Central, o Pix já movimentou mais de R$ 500 bilhões desde seu lançamento, no final do ano passado. Ao todo, o serviço passa de 73 milhões de usuários utilizando o sistema nas mais 900 instituições financeiras cadastradas para efetuar os pagamentos e transações.

Mesmo com grandes números, ainda faltam alguns pontos importantes para o Pix funcionar por completo, como o saque no comércio, registro de recebíveis e o Pix por aproximação. Outra ferramenta ainda ausente e que pode ajudar na popularização deste meio de pagamento é a cobrança com vencimento, já adiada duas vezes.

(Fonte: André Fogaça) - 12/04/2021
WhatsApp poderá ativar pagamentos e transferências no Brasil

Casamento entre mídias sociais e serviços de finanças foram destacados pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto

O Banco Central autorizou nesta terça-feira, 30, o funcionamento de recursos que permitem pagamentos pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. A empresa Facebook Pagamentos do Brasil foi aprovada como um "iniciador de pagamentos", de maneira que os usuários do mensageiro poderão transferir recursos entre si.

Em nota, o BC informou ainda que foram concedidas autorizações para dois arranjos classificados como abertos de transferência, de depósito e pré-pago, domésticos, instituídos pela Visa e pela Mastercard.



Vista do aplicativo de mensagens WhatsApp na tela de um telefone. 3/8/2017. REUTERS/Thomas White
Foto: Reuters

"Esses arranjos e instituição de pagamentos têm relação com a implementação do programa de pagamentos vinculado ao serviço de mensageria instantânea do WhatsApp (Programa Facebook Pay). As autorizações permitem que ele seja utilizado para realizar a transferência de recursos entre seus usuários", diz o BC em nota divulgada há pouco.

O BC esclarece que as autorizações de hoje não incluem os pleitos da Visa e Mastercard para funcionamento dos arranjos de compra vinculados ao Programa Facebook Pay, que seguem em análise.

"O BC acredita que as autorizações concedidas poderão abrir novas perspectivas de redução de custos para os usuários de serviços de pagamentos", acrescenta.

O WhatsApp lançou em 15 junho do ano passado um serviço de envio e recebimento de dinheiro no Brasil, mas uma semana depois teve o serviço suspenso pelo BC, sob a justificativa de que era preciso avaliar questões de competição e privacidade. Desde então, o BC vinha analisando o pleito e as regras para funcionamento.

Hoje mesmo, em evento virtual Encontro Daycoval - Perspectivas Econômicas e de Investimentos para o Brasil 2021, que teve o apoio do Broadcast e do Estadão, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, destacou o casamento entre mídias sociais e serviços de finanças, sem citar diretamente o andamento do pedido do WhatsApp.

"Há um movimento de uso de mensagens por meio do Pix (o novo sistema de pagamento criado pelo BC). A sociedade usou sistema de pagamentos como mensageira porque tem demanda por misturar esses serviços", completou. Ele também falou da preocupação com os casos recentes de vazamento de dados pessoais no Brasil. "Não podemos criar ambiente de tecnologia sem cibersegurança bem feita", disse.

(Fonte: Sandra Manfrini) - 02/04/2021
TP-Link lança roteador Archer AX73 com Wi-Fi 6 no Brasil

Lançamento da TP-Link promete streaming em 8K e velocidades gigabit em rede Wi-Fi; veja preço e especificações do Archer AX73

A TP-Link anunciou a chegada oficial do Archer AX73 no Brasil. O poderoso roteador tem capacidade para velocidade gigabit em transferências sem-fio graças a tecnologia Wi-Fi 6, além de cobertura mais extensa que roteadores convencionais. Confira o preço e as especificações técnicas.



TP-Link Archer AX73 tem Wi-Fi 6, suporta mesh e tem portas gigabit
Foto: Reprodução / Tecnoblog

Archer AX73 promete velocidades altas e suporte a Mesh
O equipamento utiliza Wi-Fi 6 (802.11ax), mas também tem compatibilidade com Wi-Fi 5 e anteriores. A velocidade nominal é de 5.400 Mb/s, sendo 4.804 Mb/s na frequência de 5 GHz e outros 574 Mb/s no espectro de 2,4 GHz.

Para entregar as altas velocidades, o Archer AX73 se aproveita do dobro de espectro de roteadores com Wi-Fi 5: são 160 MHz de largura de banda. Com seis fluxos de transmissão simultânea e modulação de 1024 QAM, a TP-Link promete conexão sem fio suficiente para transmitir vários vídeos com resolução 8K sem perda de latência.



Archer AX73 da TP-Link é ideal para casas com três quartos
Foto: Reprodução / Tecnoblog

Outro fator de destaque do Archer AX73 é a cobertura: são seis antenas fixas com módulo front-end de alta potência (FEM) e beamforming, e a TP-Link indica o equipamento para casas com três quartos.

O router também é compatível com MU-MIMO (múltiplos usuários com múltipla entrada e saída), além de OFDMA, permitindo que vários dispositivos utilizem o padrão Wi-Fi 6 de forma simultânea.

O equipamento também é compatível com o padrão TP-Link OneMesh, que permite agregar outros roteadores da TP-Link para expandir a cobertura Wi-Fi. A tecnologia possui roaming rápido, e o dispositivo migra de um ponto de acesso para outro em apenas de 0,3 segundo (desde que esteja na frequência de 5 GHz).

TP-Link Archer AX73 suporta conexões gigabit
O Archer AX73 tem quatro portas LAN e uma WAN, todas compatíveis com padrão Gigabit Ethernet - ou seja, o roteador é compatível com conexões de internet banda larga com velocidades acima superiores a 100 Mb/s. O equipamento também suporta Agregação de Link Estático (LAG) usando duas portas LAN para aumentar a capacidade de banda.


TP-Link Archer AX73 tem porta USB, 4 LAN e 1 WAN no padrão Gigabit
Foto: Reprodução / Tecnoblog


Além disso, o router conta com porta USB 3.0 para conectar um HD externo e compartilhar arquivos na rede. Dentre as funções suportadas, o Archer AX73 possui servidor de mídia, FTP, Samba e suporte ao Apple Time Machine.

Quanto a segurança, o Archer AX73 é compatível com criptografia WPA3, além de incluir o software TP-Link HomeShield que previne ataques DDoS, brechas de segurança em dispositivos de Internet das Coisas e controle parental.

Todo o gerenciamento do roteador pode ser feito através do aplicativo TP-Link Tether, disponível para iOS e Android. O Archer AX73 chega ao Brasil no varejo com preço sugerido de R$ 1.299.


Instalação e configuração do AX73 pode ser feita pelo app TP-Link Tether
Foto: Reprodução / Tecnoblog

TP-Link Archer AX73: especificações técnicas
Processador: CPU triple-core de 1,5 GHz
Portas: 1 porta WAN, 4 portas LAN, padrão Gigabit Ethernet; 1 porta USB 3.0 para armazenamento externo
Rádio: 802.11a/n/b/g/ac/ax (Wi-FI 6), Beamforming, 4x4 MU-MIMO, OFDMA, Airtime Fairness, DFS e 4T4R
Velocidade nominal: AX5400, sendo 4.804 Mb/s em 5 GHz e 574 Mb/s em 2,4 GHz
Conectividade: IPv4, IPv6
Modos de operação: Roteador (servidor DHCP), Access Point (cliente DHCP), TP-Link OneMesh
Recursos: Rede de convidados, HomeShield (proteção IoT, bloqueador de sites maliciosos, prevenção contra ataques DDoS e scanner de rede residencial), WPS, controle parental, QoS por dispositivo, TP-Link DDNS, VLAN
Dispositivos simultâneos: até 224 na rede sem fio, sendo 128 na rede de 5 GHz e 96 na frequência de 2,4 GHz
Preço sugerido: R$ 1.299,00 no varejo brasileiro

(Fonte: Lucas Braga) - 02/04/2021
Startup brasileira lança cartão Visa carregado com Bitcoin; negativados no SPC/Serasa também podem usar

Startup brasileira lança cartão Visa carregado com Bitcoin; negativados no SPC/Serasa também podem usar

Cripto entusiastas agora podem carregar um cartão Visa diretamente com Bitcoin e realizar pagamentos com ele em qualquer estabelecimento comercial do Brasil e do mundo.

A iniciativa é uma parceria da startup brasileira Alterbank, sediada no Rio de Janeiro, que fez uma parceria com empresas importantes no nicho, como BitGo, bitPreço, Belveder e PagueCripto.

Para que o pagamento seja efetuado, não é necessário que o estabelecimento aceite Bitcoin, pois o valor é automaticamente convertido e o vendedor recebe o pagamento em reais (ou na moeda do país em que estiverem).

A novidade traz também a possibilidade de realizar TEDs, recargas de celular, saques em caixas eletrônicos e pagamentos de boletos.

Além disso, a maior parte das operações, como abertura de conta, manutenção, emissão do cartão e anuidade serão gratuitas, segundo informações no site da startup.

Os saques em caixas eletrônicos 24 horas terão um custo de R$ 6,90, enquanto realizar transferências para outros bancos custará R$ 3,50. No caso de saques internacionais, o valor cobrado será de R$ 17,00.



De acordo com a empresa, o serviço é destinado inclusive para os negativados e pessoas com restrições de crédito, e afirma ainda que as taxas serão as menores do mercado.

O aplicativo da Alterbank ainda não foi lançado, mas isso deve ocorrer em breve e estará disponível para Android e iOS. No entanto, é possível se cadastrar pelo site.

John McAfee vai lançar seu próprio cartão de débito de Bitcoin

Também em parceria com a Visa (e Mastercard), o polêmico programador e PhD em matemática, John McAfee,
anunciou que lançará seu próprio cartão de débito de Bitcoin.

Outro ponto em comum com o Alterbank, é que o cartão de McAfee poderá ser usado em qualquer lugar do mundo graças à conversão de BTC para a moeda local.

Além disso, o cripto cartão será focado em privacidade e anonimato:

Sorry – “Credit Card” was a misnomer. More like a debit card. You load it with Bitcoin then use it anywhere. We convert to local currencies. pic.twitter.com/0MRmh1PslW— John McAfee (@officialmcafee) April 26, 2019

“Uma coisa que esqueci de mencionar sobre o meu cartão de débito Cripto Visa / Mastercard: eu mantenho a privacidade e o anonimato inerentes às Criptomoedas. Pedimos apenas o nome que você deseja no cartão e para qual endereço você deseja que seja enviado. ”, disse ele.

Segundo o programador e candidato à presidência dos EUA em 2020, seu cartão será lançado em breve.

(Fonte: Por Viviane Nogueira) - 24/03/2021
Listando: 15 de 1198

Anuncie

Sobre o Portal da Santa Ifigênia

O Portal da Santa Ifigênia foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Santa Ifigênia no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de eletro-eletrônicos.