SHEIK CFTV

Notícias na Santa Ifigênia

Listando: 1 à 5 de 1216
Bill Gates revela sua tradicional lista de livros de 2021

Seleção feita pelo empresário já é tradição aos finais de ano

Já é natal na terra de Bill Gates. Em um post no seu blog pessoal, o empresário divulgou sua tradicional lista de livros de final de ano com cinco títulos que vão de ficção a ensaios sobre o funcionamento do cérebro humano. A seleção, publicada anualmente pelo bilionário, é uma coletânea de recomendação para as festas de fim de ano, e em 2021 chega no encerramento de um ano repleto de escândalos para o fundador da Microsoft após o divórcio com Melinda French Gates.

"Quando eu era criança, era obcecado por ficção científica. Paul Allen e eu passaríamos incontáveis ??horas discutindo a trilogia original da Fundação de Isaac Asimov. Li todos os livros de Edgar Rice Burroughs e Robert Heinlein. Conforme fui crescendo, comecei a ler muito mais não-ficção", escreveu Gates na publicação. "Eu ainda estava interessado em livros que explorassem as implicações da inovação, mas parecia mais importante aprender algo sobre nosso mundo real ao longo do caminho. Ultimamente, porém, tenho me sentido atraído pelos tipos de livros que eu adoraria quando criança. Minha lista de leituras nas férias deste ano inclui duas histórias incríveis de ficção científica".



Seleção de Natal de Gates inclui três recomendações de ficção científica em 2021
Foto: Divulgação / Estadão

Confira abaixo os cinco livros que compõem a lista de recomendação de Bill Gates para os próximos meses.

A obra, lançada em março de 2021, é um aprofundamento no funcionamento da inteligência artificial (IA) e em como ela é relacionada ao aprendizado de um cérebro humano. Durante os capítulos, os autores abordam o conceito de "inteligência" e como o cérebro possui um processo de criação dessa capacidade — assim como as máquinas que aplicam IA em seus sistemas. O livro é fruto do trabalho de Jeff Hawkins na pesquisa sobre neurociência, engenharia computacional e obras literárias.

Editora: Basic Books

Idioma: Inglês

Páginas: 288

Preço: R$ 175,75

A Decodificadora, de Walter Isaacson



A Decodificadora (ou "Code Breaker", em inglês), de Walter Isaacson
Foto: Divulgação / Estadão

Escrita pelo mesmo biógrafo de Albert Einstein, Steve Jobs e Leonardo da Vinci, "A Decodificadora" desvenda a trajetória de Jennifer Doudna, ganhadora do Nobel de Química em 2020 por trabalhos com uma ferramenta de edição de genes humanos — a CRISPR. O livro mostra a paixão de Jennifer pela biologia e o processo, com seus parceiros, na descoberta da capacidade de coordenar mutações genéticas, além de trazer a cientista como uma importante figura na discussão ética da manipulação do DNA.

Editora: Intrínseca

Idioma: Português

Páginas: 576

Preço: R$ 79,90

Klara e o Sol, de Kazuo Ishiguro



Klara e o Sol (ou Klara and the Sun, em inglês), de Kazuo Ishiguro
Foto: Divulgação / Estadão

Uma das ficções escolhidas por Gates, Klara e o Sol é uma obra que se passa em um futuro distópico com robôs "companheiros" — aqui, eles não são controladores ou super máquinas e sim amigos artificiais que convivem com humanos e podem ser adquiridos em lojas. Klara, um desses robôs, é levada para ser a companhia de Josie, uma adolescente de 14 anos que sofre com uma doença grave. Ao conviver com a jovem, Klara conta suas observações e seus desejos de uma vida fora das vitrines da loja.

Editora: Companhia das Letras

Idioma: Português

Páginas: 336

Preço: R$ 59,90

Hamnet, de Maggie OFarrell



Hamnet, de Maggie OFarrell
Foto: Divulgação / Estadão

Em uma referência à obra Hamlet, de Shakespeare, o livro traz a narrativa de Agnes, esposa do autor inglês, e como a morte precoce do filho do casal inspirou uma das peças mais famosas do marido. O romance é ambientado em meio ao casamento abalado pela perda do filho, a mudança de Agnes para Londres, para estar perto de Shakeapeare e a reconstrução da família — que também tinha outras filhas — diante do ofício do pai e da dor do luto.

Editora: Intrínseca

Idioma: Português

Páginas: 384

Preço: R$ 64,90

Devoradores de estrelas, de Andy Weir



Devoradores de estrelas (ou Project Hail Mary, em inglês), de Andy Weir
Foto: Divulgação / Estadão

A ficção de Weir é a aposta após o livro "Perdido em Marte", que ganhou adaptação para o cinema em 2015. No novo livro, Ryland Grace é um astronauta sobrevivente de uma missão que matou todos os seus companheiros. Fora da Terra, Grace precisa, porém, trabalhar em um combate que pode salvar toda a humanidade: proteger a espécie humana de uma bactéria mortal. O problema é que, no incidente que matou seus dois companheiros, Grace perdeu a memória e vai lutar contra o tempo e o espaço para recuperar suas lembranças e ser capaz de exterminar a ameaça a Terra.

Editora: Suma

Idioma: Português

Páginas: 424

Preço: R$ 64,90


(Fonte: Redação Link) - 29/11/2021
Faturamento do e-commerce na Black Friday cresce 5,8%, totalizando R$ 5,4 bilhões

De acordo com a Neotrust, já foram registrados mais de 7,6 milhões de pedidos nas 48h de compras no varejo digital

A Black Friday foi concluída com um faturamento total de R$5.419.476.903,00 bilhões – um crescimento de 5,8% em faturamento na comparação com o resultado do ano passado, de acordo com levantamento realizado pela Neotrust, a partir do número total de compras realizadas via e-commerce, capturados desde o primeiro minuto de quinta-feira (25/11) até 23h59 de sexta-feira (26/11).

A edição 2021 da Black Friday encerrou as 48h monitoradas com um volume de 7,6 milhões de pedidos, 0,5% abaixo do desempenho registrado na quinta-feira e sexta-feira de 2020. Já o tíquete médio nacional das compras foi de R$711,38 (6,4% superior a 2020).

De acordo com projeção da ClearSale, empresa referência em antifraude, o valor de fraudes evitadas até 23h da sexta-feira foi de R$66.304.658,05.

As informações sobre os resultados do e-commerce da Black Friday 2021 puderam ser acompanhadas de forma gratuita pelo site Hora a Hora, iniciativa da Neotrust — uma das quatro unidades de negócio do T.Group. O Hora a Hora contou com a parceria da ClearSale e o patrocínio do Cartão Elo.

O monitoramento da Neotrust começou às 0h de quinta-feira (25/11) e prosseguiu ininterruptamente até o final da sexta-feira. Nos próximos dias, os dados passarão por um controle de qualidade e pela revisão das taxas de aprovação de pedidos. O resultado consolidado do e-commerce da Black Friday 2021 será divulgado na segunda semana de dezembro, por meio de um relatório gratuito para download no site da Neotrust.

Análise dos dados
Na análise da Head de Inteligência da Neotrust, Paulina Gonçalves Dias, o faturamento no e-commerce apenas na sexta-feira foi de pouco mais de R$ 4 bilhões, 4,5% acima do faturamento de 2020.

“Esse faturamento foi abaixo do que estávamos projetando. Teve performance abaixo do que foi a quinta-feira, que teve crescimento de 10%. Em número de pedidos, na sexta-feira, tivemos 5,2 milhões de pedidos. Isso representa 2,4% abaixo do que tivemos em 2020. O pico de vendas ocorreu entre 10h e 14h de sexta-feira”, comenta Paulina.

“Em 2021, assim como em outros anos, o cartão de crédito manteve-se como a principal forma de pagamento. Observamos a perda de participação do uso do boleto bancário em 4 pontos percentuais (p.p.) como forma de pagamento, enquanto PIX e carteiras digitais ganharam espaço. O PIX, entretanto, não teve a performance esperada, o que pode estar relacionado à data da Black Friday, já no final do mês, o que tem um impacto no bolso do consumidor para compras à vista”, acrescenta a Head de Inteligência da Neotrust.

Segundo Paulina, o valor do frete médio teve uma redução de 12% em relação ao ano passado e a participação do frete grátis nos pedidos teve um aumento de 0.6 pontos percentuais (p.p.), o que leva à conclusão de que o varejista tenha arcado com uma parte desse frete para atrair consumidores.

Outro destaque, entre as categorias mais vendidas, foi a entrada do item Eletroportáteis no Top-5.

“Nessa categoria, o destaque foram as compras de fritadeiras e aspirador de pó. Na categoria Moda e Acessórios, o maior desconto foi dado no segmento de calçados femininos e o menor desconto foi para moda masculina. Dentro da categoria Beleza e Perfumaria, o maior desconto ocorreu em itens para o corpo e o menor em itens de barbearia”, relata a executiva.

Performance do e-commerce na Black Friday 2021 (por categoria de produto sob o critério do número de pedidos)
1. Moda e Acessórios
2. Beleza e Perfumaria
3. Telefonia
4. Eletroportáteis
5. Eletrodomésticos

*Resultado a partir do número de pedidos de produtos mais comprados nas 48h monitoradas entre 0h de quinta-feira (25/11) e 23h59 sexta-feira (26/11)

Performance do e-commerce na Black Friday 2021 (por categoria de produto sob o critério de faturamento)
1. Telefonia
2. Eletrodomésticos
3. Eletrônicos
4. Informática
5. Móveis

*Resultado a partir do faturamento dos produtos comprados nas 48h monitoradas entre 0h de quinta-feira (25/11) e 23h59 sexta-feira (26/11)

Performance do e-commerce na Black Friday 2021 (por categoria faixa etária)
26 e 35 anos – 35%
36 a 50 anos – 34%
Até 25 anos – 17%
Mais de 51 anos – 14%

* Resultados percentuais sob o critério do número de pedidos realizados (100%) nas 48h monitoradas entre 0h de quinta-feira (25/11) e 23h59 sexta-feira (26/11)

Performance do e-commerce na Black Friday 2021 (nas 5 regiões do país)
Sudeste – 61%
Nordeste – 16%
Sul – 14%
Centro-Oeste – 6%
Norte – 2%

*Percentuais aproximados por região sob o critério do número de pedidos feitos em todo o País (100%) nas 48h monitoradas entre 0h de quinta-feira (25/11) e 23h59 sexta-feira (26/11)

(Fonte: Julia Zamarioli) - 29/11/2021
Black Friday e Cyber Monday: número de sites picaretas cresce 178%

Com a proximidade das datas de Black Friday e Cyber Monday (respectivamente, 26 e 29 de novembro), pesquisadores da Check Point Research (CPR), divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point Software Technologies Ltd, observaram uma quantidade recorde de sites maliciosos relacionados a compras online. Foi um aumento de 178%.

Fraudes em Black Friday e Cyber Monday: os números
Mais de 5.300 sites maliciosos detectados por semana em média pela CPR, marcando o maior número desde o início de 2021;
Aumento de 178% em sites maliciosos relacionados ao e-shopping nas últimas seis semanas, em comparação com a média em 2021;
1 em cada 38 redes corporativas foi impactada em média por semana em novembro, em comparação com 1 em 47 em outubro e 1 em 352 no início de 2021.
Em relação a Black Friday e Cyber Monday, a CPR mostra a seguir dois exemplos visuais de falsificações recentes de marcas: Michael Kors e Amazon Japan.

Figura 1: Aumento acentuado de sites maliciosos de compras (janeiro – novembro de 2021)




Exemplo A: falsificação de identidade da marca Michael Kors
CPR encontrou imitações da marca Michael Kors. E-mails fraudulentos usavam as linhas de assunto abaixo para atrair as vítimas para sites maliciosos:

“Bolsas fashion MK com 85% de desconto na loja online hoje”
“Bolsas Michael Kors com até 80% de desconto em promoção, alta moda, preços baixos”
“Compre todas as bolsas; bolsas e carteiras Michael Kors em até 70%”

Figura 4: Falsificação de identidade fraudulenta do site de Michael Kors



Exemplo B: falsificação de identidade da Amazon
A CPR descobriu um e-mail enviado da “Amazon. Aviso urgente “. O endereço de e-mail continha um domínio chinês e o e-mail tinha um assunto em japonês que dizia “Notificação do sistema: Infelizmente, não foi possível renovar sua conta Аmazon” (traduzido do japonês).

O link no e-mail levava a um site falso como site “Amazom. co. jp” , tanto no nome quanto no visual ” [ https://www[.] amazon-co-jp [.] fo
2j. top / ] https://www [.]amazon-co- jp [.] fo
2j.top/ ”



Black Friday e Cyber Monday: cuidados
33Giga e Check Point Research listam as principais dicas de segurança para que possam aproveitar e evitar os perigos das ciberameaças e dos golpes de phishing.

Cuidado com as pechinchas “boas demais para ser verdade”
Se a oferta ou promoção de Black Friday e Cyber Monday parecer BOA demais para ser verdade, provavelmente será falsa. Por exemplo, desconto de 80% no novo modelo do iPhone, geralmente, não é uma oportunidade de compra confiável.

Nunca compartilhar as credenciais
O roubo de credenciais é um objetivo comum dos ciberataques. Muitas pessoas reutilizam os mesmos nomes de usuário e as mesmas senhas em muitas contas diferentes, portanto, roubar as credenciais de uma única conta, provavelmente, dará a um atacante acesso a várias contas online do usuário. Jamais compartilhe as credenciais de sua conta e não reutilize senhas nas lojas de suas compras em Black Friday e Cyber Monday.

Suspeitar sempre de e-mails de redefinição de senha
Durante Black Friday e Cyber Monday, se o usuário receber um e-mail não solicitado de redefinição de senha, a orientação é sempre visitar o site diretamente (não clicar em links incorporados) e alterar sua senha para uma outra nesse site (e que seja uma senha diferente de quaisquer outros sites). Ao clicar em um link, o usuário pode redefinir a senha dessa conta para algo novo. [

Não saber sua senha é, naturalmente, também o problema que os cibercriminosos enfrentam ao tentar obter acesso às suas contas online. Ao enviar um e-mail falso de redefinição de senha, eles intencionam direcionar o usuário a um site de phishing semelhante e podem convencê-lo a digitar as credenciais da sua conta e enviá-las para eles.

Pressa e urgência, bandeira vermelha!
As técnicas de engenharia social são projetadas para tirar vantagem da natureza humana, uma vez que é mais provável cometer um erro quando as coisas são feitas às pressas. Os ataques de phishing procuram representar marcas de confiança para evitar que suas vítimas potenciais suspeitem e para que possam clicar em um link ou abrir um documento anexado ao e-mail com mais facilidade.

Procurar pelo ícone do cadeado
Deve-se evitar realizar compras online usando as informações de pagamento de um site que não tenha a criptografia SSL (Secure Sockets Layer) instalada. Para saber se o site possui SSL, procure o “S” em HTTPS, em vez de HTTP. Um ícone de um cadeado trancado aparecerá, normalmente à esquerda da URL na barra de endereço ou na barra de status abaixo.

Atentar para os erros de ortografia
Marcas confiáveis ​​não cometem erros de ortografia no corpo do texto, no nome do seu domínio ou na extensão da web que usam. Por esse motivo, qualquer e-mail com o nome da empresa digitado incorretamente (“Amaz0n” ou “Amazn” em vez de “Amazon”, por exemplo) é um sinal de alerta inevitável de que há uma tentativa de phishing.

Ter ferramentas de proteção contra phishing
Não basta compreender os riscos desse tipo de ciberataque e suas principais características para se proteger. Por esse motivo, é essencial ter ferramentas de segurança de antiphishing, de endpoint e de e-mail que forneçam uma barreira à proteção contra essas ameaças.

(Fonte: 33giga.com.br) - 16/11/2021
E-commerce representa mais de 8% da internet no Brasil

O consumidor brasileiro agora é multicanal. Isso significa que, principalmente pelos efeitos da pandemia, as pessoas tiveram que aprender a se relacionar com as marcas através da internet, aumentando de forma expressiva o número de empresas que migraram para o comércio eletrônico.



Só em 2020, 13 milhões de novos consumidores passaram a utilizar o comércio eletrônico, um crescimento de 29% em relação ao ano anterior. Segundo os dados da 43ª edição da pesquisa Webshoppers, realizada pela EBIT| Nielsen em parceria com a Bexs, o faturamento das lojas virtuais atingiu um recorde histórico: 87 bilhões de reais em vendas, o que representa 41% de crescimento em relação a 2019.

Com o crescimento rápido e significativo deste mercado, as empresas que atuam no comércio eletrônico precisam aprimorar suas estruturas e as tecnologias capazes de melhorar a experiência de compra e aprimorar a segurança, incentivando cada vez mais o consumo digital.

De acordo com o levantamento da Betalabs, em 2020 houve um aumento de 120% na utilização de plataformas de comércio eletrônico no Brasil. Além disso, o e-commerce já é responsável por 8,48% do total de sites na internet brasileira, índice que em 2015 representava 2,65%, segundo a pesquisa Perfil do E-Commerce Brasileiro, realizada pelo PayPal Brasil em parceria com a Big Data Corp.

Empresas que experimentam esse rápido crescimento de mercado buscam maneiras para darem conta da nova demanda. Entre elas, a otimização da operação com investimento em plataformas com tecnologia avançada que refletem em vantagens na redução de custos com infraestrutura dedicada, aumento da performance da equipe de tecnologia, além de melhorar a experiência de compra dos clientes.

"Quando mudamos a nossa plataforma de e-commerce para uma versão enterprise, os resultados de velocidade de carregamento das nossas páginas tiveram uma melhora superior a 80% e o deploy de atualizações que, antes levava uma média de 30 minutos deixando o site indisponível, agora leva segundos sem paralisações no site", relata Maurício Albiero, Product Owner na Proxys Group, empresa especialista em e-commerce que passou por um processo de migração de plataforma.

Existem grandes players de mercado especializados nesse serviço, porém, muitas empresas investem na capacitação interna do time.

Investimento em operação e logística

Além da otimização das plataformas de e-commerce, as empresas também apostaram em melhorias para os setores de operação e logística. Os dados da pesquisa Vender em Marketplaces, publicada em 2020 pela Olist, mostram que o número de empresas que têm entre 2 e 5 funcionários responsáveis pela operação de marketplaces, de 2018 para 2019, subiu de 34,2% para 64%. A pesquisa também aponta para o crescimento do número de empresas que passaram a utilizar um ERP - sistema integrado de gestão empresarial - para otimizar principalmente a operação logística. Em 2020, 61% das empresas entrevistadas já utilizavam um ERP e 24% afirmaram que a implantação do sistema ocorrerá em breve.

Investimentos em todo o ecossistema de tecnologia, utilização de novos softwares e a capacitação de colaboradores são algumas das ações que as empresas de e-commerce estão aplicando para acompanhar o crescimento rápido do mercado.

CRESCE 23% CONSUMO DE MINUTOS NA INTERNET PELO CELULAR

Número de pessoas conectadas multiplataforma no país chegou a 126,5 milhões no primeiro semestre de 2021, uma alta de 3% em relação ao fim do ano passado; dispositivos móveis concentram 112 milhões de usuários, alta de 6% em relação ao final de 2020

O número de pessoas conectadas multiplataforma no Brasil chegou a 126,5 milhões no primeiro semestre de 2021, uma alta de 3% em relação ao fim do ano passado, quando eram 122,7 milhões. Dispositivos móveis concentram 112 milhões de usuários, uma alta de 6% em relação ao final de 2020. Estes são alguns dos dados resultantes do recente estudo “Tendências e Comportamentos Digitais 2021”, da Comscore, empresa especializada em medição de audiências digitais.

Segundo a Comscore, o distanciamento social imposto pela pandemia teve um grande impacto no crescimento da população digital, que segue ascendente no Brasil. O relatório aponta também que o acesso via dispositivos móveis (smartphones e tablets) cresceu em ritmo ainda mais acelerado neste período, atingindo a audiência de 112 milhões de usuários, que levou a uma alta de 6% em relação ao final de 2020, quando eram 105 milhões.Na América Latina, o Brasil é destaque em audiência exclusiva móvel, seguido de México, Colômbia e Chile. De acordo com o levantamento da Comscore, dentro do total de pessoas conectadas, são 77,9 milhões que acessam a internet exclusivamente por mobile. As que usam apenas dispositivos desktop são 14,5 milhões, e 34,1 milhões utilizam ambas as plataformas.

TEMPO DE USO
A análise mostra que o brasileiro passa, em média, 3 horas e 23 minutos por dia conectado à rede. Dentro desse tempo, a quantidade de minutos consumida por meio de dispositivos móveis teve uma alta de 23% entre janeiro de 2020 e junho de 2021, enquanto o acesso via desktop permaneceu constante. Como resultado, 81% dos vídeos reproduzidos na internet são consumidos nos celulares ou tablets e o uso de aplicativos representa mais de 90% do tempo consumido nesses dispositivos.

“Os smartphones são preferência entre os brasileiros e, seguramente, a pandemia foi uma impulsionadora do seu uso para diferentes funções. Isso nos direciona a uma sociedade cada vez mais conectada. Com isso, temos análises mais assertivas em relação aos hábitos de consumo e conseguimos direcionar fortes tendências para as marcas”, diz Alejandro Fosk, diretor geral da Comscore América Latina.

ANÁLISE DE PERFIL
O estudo mostrou uma equidade entre os gêneros da população digital: 50% são homens e 50% mulheres. Em relação à faixa etária, a maior concentração desses usuários está entre as gerações baby boomer (45+ anos) e millenial (25 – 34 anos).

A região que lidera em número de consumidores é o Sudeste (48,5%), seguida por Nordeste (23,4%), Sul (14,9%), Centro-Oeste (7,8%) e Norte (5,4%), em quantidade de pessoas conectadas.

De acordo com a Comscore, os baby boomers têm passado mais tempo conectados. A população digital acima dos 45 anos aumentou seu consumo de internet em 30% no período de um ano.

O relatório da empresa também constatou que a categoria Social Media foi a líder de audiência em junho de 2021, quando os usuários acumularam 343,5 milhões de minutos em navegação pelas plataformas de interação social. Nesse ponto, o Facebook segue na liderança, com folga, em relação ao tempo de consumo dos internautas.

Já entre os aplicativos mobile preferidos dos usuários, os líderes de audiência são WhatsApp, Instagram, Facebook e YouTube.

(Fonte: DA REDAÇÃO) - 17/10/2021
Listando: 5 de 1216

Anuncie

Sobre o Portal da Santa Ifigênia

O Portal da Santa Ifigênia foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Santa Ifigênia no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de eletro-eletrônicos.