SHEIK CFTV

Notícias na Santa Ifigênia

Listando: 1 à 5 de 1248
AirTag é usado para rastrear ladrão de bagagens nos EUA

Fato ocorreu em um condado da Flórida; vítima usou o gadget da Apple para encontrar a última localização de seus bens

O AirTag é aquele tipo de item que temos com a intenção de nunca precisar usar. Apesar disso, há momentos em que o gadget pode ser de enorme ajuda. Um exemplo recente é o caso de furtos de malas no aeroporto de Destin-Fort Walton Beach, na Flórida. Na situação, uma viajante relatou que sua bagagem nunca chegou a seu destino, mas depois de utilizar o objeto da Apple, foi descoberto que um funcionário havia furtado o item com cerca de US$ 1.600.



Apple AirTag
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Na quinta-feira (11), o xerife do condado de Okaloosa, na Flórida, divulgou que haviam encontrado e prendido Giovanni De Luca, um rapaz de 19 anos que trabalhava no aeroporto de Destin-Fort Walton Beach. O homem é acusado de furtar, pelo menos, duas bagagens de pessoas diferentes com pertences no valor de US$ 16.600.

A investigação teve início quando uma mulher realizou uma viagem, mas percebeu que sua mala desapareceu no caminho. Assim, ela usou o seu AirTag para tentar encontrar a última localização do objeto. O resultado mostrou que a mais recente ativação havia ocorrido na cidade de Mary Esther, Flórida.

Em seguida, um segundo indivíduo reportou ao xerife que seus bens, com joias no valor de US$ 15 mil, também estavam desaparecidos.

A partir daí, os investigadores usaram a base de dados do aeroporto para encontrar algum funcionário que morasse nas redondezas da localização indicada pelo AirTag da Apple. Eventualmente, a residência de Giovanni De Luca foi indicada. Os agentes do xerife contataram o rapaz, que acabou admitindo os furtos.

Todavia, apenas a segunda pessoa conseguiu recuperar os seus pertences.

AirTag faz parte de outros casos curiosos
Em Nova York, por exemplo, diversos casos de stalking ocorreram no início do ano envolvendo o AirTag. Muitas pessoas reportaram às autoridades que o gadget foi encontrado dentro de carros, bolsas e outras propriedades. Os stalkers fazem isso para saber a localização dos indivíduos de forma frequente.

Outra situação estranha ocorreu em dezembro de 2021 no Canadá. Autoridades afirmaram que bandidos estavam usando o objeto da Apple para marcar carros de luxos e, em seguida, roubá-los. Em outras palavras, os criminosos colocavam o AirTag nos veículos, os rastreavam até as residências dos donos e os furtavam.

Mesmo com uma tecnologia desenvolvida para auxiliar os usuários, há sempre aqueles que vão usá-la com os piores motivos.

Com informações: 9toMac.

(Fonte: Ricardo Syozi Tecnoblog) - 17/08/2022
5G chega ao Brasil: o que ainda precisa ser feito para avançar na conectividade

Verdadeiro 5G começou a chegar ao Brasil, mas expandi-lo para garantir e popularizar o acesso é o próximo desafio

Imagine o dia em que um médico em São Paulo consiga fazer em tempo real uma cirurgia em um paciente que está em Macapá. Ou a possibilidade de pegar uma carona até o outro lado da cidade em um carro autônomo, ou seja, sem motorista. Parece um filme de ficção científica, certo? Mas são apenas duas de uma infinidade de possibilidades que a chegada do 5G nos traz.

Após um longo capítulo entre disputas geopolíticas, questões comerciais e um leilão muito esperado, o 5G chega oficialmente ao Brasil. Realizado em novembro de 2021 pelo governo federal, o chamado leilão do 5G movimentou R$ 46,7 bilhões entre as dez empresas ganhadoras da negociação.

Brasília foi a primeira capital do país a oferecer o tão aguardado 5G "puro". A tecnologia conta com uma infraestrutura totalmente nova e dedicada exclusivamente a ela e, por isso, oferece uma internet com alta velocidade, conexão massiva de dispositivos, com um baixo tempo de resposta e alta confiabilidade.


Foto: Nokia / Canaltech

No dia 29 de julho foi a vez das cidades de Belo Horizonte (MG), João Pessoa (PB) e Porto Alegre (RS). O cronograma previsto para implementação do 5G no Brasil aponta que até o dia 29 de setembro todas as capitais devam ser contempladas. Porém, para cidades menores, aquelas com até 30 mil habitantes, a previsão é de que a tecnologia chegue apenas em 2028.

As redes 5G utilizam frequências de rádio mais altas para o seu funcionamento e que permitem ampliar a capacidade de transmissão de dados a uma latência menor — que é o tempo que a informação leva para sair do computador e chegar ao destino. O 5G permite uma internet até 20 vezes mais rápida que o 4G; para se ter uma ideia, se antes levávamos 10 minutos para baixar um filme no 4G, o mesmo poderá ser feito em apenas 30 segundos utilizando o 5G.

Os ganhos que o 5G promete trazer para o país poderão elevar o Produto Interno Bruto (PIB) em US$ 1,2 trilhão até 2035. A tecnologia deve resultar no aumento da produtividade, no desenvolvimento de novas soluções, abertura de novos negócios e na queda nos custos de produção. O Brasil, finalmente, se junta aos 60 demais países que já possuem a tecnologia de quinta geração.

A conectividade como um direito social
As perspectivas de como essa nova tecnologia pode impulsionar a utilização de soluções disruptivas são muito animadoras, mas não devemos deixar de reconhecer os desafios históricos para que a conectividade possa ser um direito social garantido à população. A chegada do 5g reforça também como é preciso reduzir as profundas desigualdades no acesso à internet existentes no Brasil. Isso porque, ignorar a complexa realidade social do nosso país pode nos levar a repetir as mesmas injustiças, agora diante de uma nova tecnologia que promete ser tão transformadora.

Dados da Anatel de julho de 2022 mostram que 90,15% dos moradores do país recebem cobertura 4G. Apesar da alta porcentagem, é necessário analisar as diferenças regionais: enquanto 99,66% dos moradores do Distrito Federal acessam o 4G, no Piauí o percentual cai para 73,78%. Por ser uma tecnologia que depende da instalação de antenas, há no país grandes "lacunas" de conexão. Em 2022, apenas 12,45% do território nacional conta com cobertura 4G. O Amazonas é a unidade da federação com menor área coberta, 0,82% do estado.

Um estudo do Instituto Locomotivas e da empresa de consultoria PwC, realizado em 2022, identificou que 33,9 milhões de brasileiros estão desconectados e outros 86,6 milhões não conseguem se conectar todos os dias. Os impactos de uma população excluída digitalmente podem ser medidos a partir das enormes perdas econômicas. Mas eles são sentidos, principalmente, como uma violação incalculável ao pleno exercício da cidadania.

Em uma sociedade que vive sua revolução tecnológica, excluir pessoas do acesso à internet significa condená-las à pobreza, à exclusão social e à impossibilidade de acessar recursos essenciais para se desenvolver, estudar, acessar serviços públicos -como bem demonstrou a pandemia de covid-19 — e gerar riquezas.

Para enfrentar um problema desta magnitude, é preciso prioritariamente desenvolver políticas públicas inclusivas para a ampliação do acesso à internet, como a criação de um novo Plano Nacional de Banda Larga.

É fundamental também garantir estratégias, metas e obrigações de cobertura de telefonia e banda larga móveis (3G, 4G e 5G) nos municípios brasileiros. Iniciativas como essas, aos poucos, estão sendo desenvolvidas. Como é o caso do leilão do 5G, encerrado em novembro de 2021, que garantiu o compromisso do poder público de conectar 85% das escolas até o ano de 2028. Com isso, dos R$ 47,2 bilhões que devem ser investidos pelas empresas privadas, R$ 3,1 bilhões — o equivalente a 6,5% —vão para a área de educação.

A chegada do 5G no Brasil é uma ótima notícia e trará enormes ganhos para o nosso ecossistema de inovação e tecnologia. Precisamos garantir que o desenvolvimento tecnológico esteja atrelado ao compromisso de gerar ganhos sociais, de forma que o avanço proporcionado pela nova geração de banda larga móvel represente também uma oportunidade de democratizar o direito à conectividade para uma importante parcela da sociedade ainda excluída.

Cientista reproduz cerveja mais antiga das Américas, de 1566

Javier Carvajal, pesquisador equatoriano, conseguiu reviver a cerveja mais antiga das Américas a partir de restos de levedura e receita reconstruída de 1566

Um pesquisador equatoriano conseguiu reproduzir a cerveja mais antiga das Américas, de 1566. Para o trabalho, foi retirada uma levedura centenária de um barril onde se armazenava a bebida, em um convento do Equador que a fabricava no século XVI. A nova leva da cerveja foi chamada de "Quito 1566", sendo divulgada em julho pela Pontifícia Universidade Católica do Equador (PUCE).

O responsável pelo feito foi Javier Carvajal, que estudava biologia na PUCE e, em 1992, leu sobre primeira cerveja do continente americano em revistas especializadas na bebida. Investigando melhor, ele descobriu que ela era fabricada em Quito, capital do país, no Convento de São Francisco, pelo Frei Jodoco Ricke. Foi aí que se soube, também, a data da primeira fabricação, 1566.

Revivendo a cerveja
Carvajal se tornou professor na PUCE nos anos 2000, e começou a pesquisar sobre leveduras nessa época. Em 2007, ele foi atrás de alguma amostra que pudesse ter restado dos barris do convento, e um ano depois, ele conseguiu uma lasca. O complexo de onde veio o barril foi construído entre 1537 e 1680, e hoje é um museu. Analisando o fragmento no microscópio, foi encontrada a variedade do Saccharomyces cerevisia (fungo da levedura) em questão.

Após um trabalho de reanimação da levedura, faltava uma coisa: a receita da cerveja. O pesquisador, que vem de uma família de cervejeiros, encontrou um artigo em uma revista da indústria que descrevia vagamente a fórmula da bebida franciscana após 4 anos de busca.

Ele descreve o trabalho como uma "arqueologia da cerveja dentro da arqueologia microbiana", já que teve de preencher buracos da receita para recriar o sabor original. Foram usados toques de canela, figo, cravo e cana-de-açúcar. Escura e agridoce, a bebida têm, incorporados, os sabores da chicha, uma bebida fermentada de milho feita pelos povos pré-colombianos da região.

Acredita-se que o Frei Jodoco, franciscano de origem flamenca — ou seja, da parte holandesa da Bélgica — que criou a bebida, foi quem introduziu o trigo e a cevada em Quito. Mesmo assim, ele incorporava a chicha em suas receitas, dando um toque local às bebidas. Após uma década de trabalho, Carvajal começou a produzir a bebida em casa, em 2018. A pandemia, no entanto, acabou frustrando esforços de comercialização.

No mesmo ano, a PUCE lançou a "Quito 1566", em uma feira solidária de economia popular, e a continua vendendo em eventos da universidade. Há planos para comercialização em outros mercados, com os royalties convertidos para o financiamento de bolsas universitárias, mas ainda sem datas para o lançamento.

O símbolo da cerveja mais antiga das Américas, agora relançada, é um monge franciscano, mas não é Jodoco, e sim Pascual Lucero, que comandou a produção após a morte do criador. A produção do convento era mínima, já que começou com apenas oito frades, e a fórmula se perdeu quanto os maquinários foram introduzidos na indústria cervejeira: isso levou ao seu fechamento em 1970.

Para Carvajal, reviver tanto a levedura quanto a receita é um trabalho de amor pelo valor do intangível: a homenagem a Lucero também busca trazer o legado do herdeiro da primeira cervejaria das Américas, que permitiu a continuidade dessa cultura por 400 anos.

Leilão da Receita tem iPhone a partir de R$ 500, celulares Xiaomi e mais

Pregão ainda tem lotes com smartbands, fones de ouvido, drone e até scooter elétrica; saiba como participar

A Receita Federal abriu, nesta segunda-feira (9), mais um leilão de produtos apreendidos. Nas próximas semanas, o órgão realizará um pregão com iPhones a partir de R$ 500, lotes com diversos celulares Xiaomi e até máquina de lavar com preço inicial em R$ 390. Os lances podem ser dados até dia 23 de agosto de 2022 por pessoas físicas e jurídicas.


iPhone 11 Pro Max está disponível no Leilão
Foto: Paulo Higa/Tecnoblog / Tecnoblog
Apesar de diversos produtos estarem disponíveis por valores mais altos, alguns são mais acessíveis. É o caso do iPhone 8 com preço inicial de R$ 500 nos lotes 311, 312, 313 e 314. Além disso, também é possível arrematar um iPhone 11 Pro Max por a partir de R$ 1.800 nos pacotes 318 e 319.

Celulares Xiaomi também estão disponíveis por menos de R$ 2.000. Como no caso do pacote 270 que oferece cinco Redmi Note 8 por R$ 1 mil de lance inicial, e do lote 274 que traz Redmi 9, Note 8 e Note 9 por a partir de R$ 1.500.

Outro destaque positivo é a presença de uma máquina de lavar roupas Electrolux por apenas R$ 390 no pacote 256.

A Receita Federal também traz diversos fones de ouvido, smartbands, um drone da DJI e uma Scooter Elétrica -- confira a tabela completa ao final do texto.

De acordo com o edital, os lotes estão disponíveis para visitação e retirada em sete cidades diferentes: Goiânia (GO), Campo Grande, Ponta Porã, Corumbá, Mundo Novo (MS), Cuiabá (MT) e Palmas (TO).



Redmi Note 9 também está disponível no leilão
Foto: Divulgação/Xiaomi / Tecnoblog

Como participar do leilão?
Os leilões da Receita Federal têm lotes destinados a pessoas físicas ou jurídicas. Você pode participar, mas o processo é um pouco complicado.

Obtenha um certificado digital (comprado à parte).
Consiga um código de acesso pelo Portal e-CAC.
Procure pelo edital no site da Receita Federal. O número é 0817600/000002/2022.
Faça sua proposta.
A Receita receberá os lances entre 9 de agosto, às 8h, e 22 de agosto, às 21h. A sessão para lance está programada para 23 de agosto, às 10h30. Todos os horários são de Brasília.

Se você quer participar, tenha em mente que a Receita não faz entregas. É preciso agendar um horário pelos telefones disponíveis no edital e ir até o local retirar.

Celulares e itens de destaque no leilão
O Tecnoblog selecionou alguns lotes que chamam a atenção na tabela a seguir.

Lote(s) Principais itens Lance inicial
180 ao 184 1x Scooter Elétrico R$ 2.500
195 1005x Xiaomi Redmi Airdots 2 R$ 35.000
196 725x Xiaomi Mi Smartband 5 R$ 40.000
197 724x Xiaomi Mi Smartband 5 R$ 40.000
198 373x Xiaomi Mi Body Composition Scale R$ 25.000
199 372x Xiaomi Mi Body Composition Scale R$ 25.000
200 20x Mi Robot Vacuum-Mop Essential (aspirador robô) R$ 20.000
201 804x Xiaomi Earbuds Basic 2 R$ 25.000
202 803x Xiaomi Earbuds Basic 2 R$ 25.000
203 ao 205 594x Xiaomi Mi TV Stick R$ 65.000
256 1x Máquina de lavar 16Kg Electrolux (LAC16) R$ 390
257 1x Drone DJI Mini Fly More Combo R$ 1.400
269 5x Xiaomi Redmi Note 9S R$ 2.000
270 5x Xiaomi Redmi Note 8 R$ 1.000
271 10x Xiaomi Redmi Note 9S R$ 4.000
273 10x Xiaomi Mi Band 4
14x Xiaomi Redmi Note 8
1x Redmi 8A
9x Redmi Note 9S
2x Redmi Note 9 Pro
1x Mi 9 Lite
1x Mochila Frozen usada
1x Lancheira Frozen usada
1x Bolsa térmica usada R$ 7.500
274 3x Redmi Note 8
1x Redmi Note 9
1x Redmi 9 R$ 1.500
292 1x iPhone 8 Plus R$ 900
293 ao 299 1x iPhone 7 R$ 600
308 25x iPhone 7 Plus R$ 12.000
309 e 310 1x iPhone 12 Pro Max R$ 3.050
311 ao 314 1x iPhone 8 R$ 500
315 ao 317 1x iPhone XR R$ 930
318 e 319 1x iPhone 11 Pro Max R$ 1.800

(Fonte: Everton Favretto Tecnoblog) - 09/08/2022
Número de nômades digitais pode chegar a 1 bilhão até 2035

Em média, 35 milhões de pessoas já atuam na modalidade, segundo balanço; integrador digital e treinador de líderes comenta oportunidades para aprender a trabalhar on-line

Em um passado não muito distante, povos nômades tinham de lidar com diversas intempéries para garantir a sobrevivência em um cenário não muito favorável. Por outro lado, o mercado dos chamados "nômades digitais" - profissionais que atuam no ambiente virtual, sem qualquer limitação geográfica - prospera e tem perspectivas positivas: segundo o Relatório Global de Tendências Migratórias 2022 da Fragomen, empresa especializada em serviços de imigração mundial, 35 milhões de profissionais já atuam por meio do sistema em todo o mundo, número que pode chegar a um bilhão em 2035.



Nesse panorama, ao menos 23 países já oferecem vistos específicos para os nômades digitais, como Argentina, Costa Rica, Emirados Árabes, Grécia, Islândia e Tailândia, além do Brasil. O Conselho Nacional de Imigração, administrado pelo MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública), ordenou a concessão de visto temporário e autorização de residência aos imigrantes que se encaixem na modalidade, conforme publicação da CNN Brasil.

Para Denis Macedo, integrador digital, treinador de líderes e idealizador do projeto Vida de Instagram, a projeção realizada pela Fragomen é assertiva. "É surreal como a tecnologia e a internet possibilitam tanto avanço e novos tipos de trabalhos - que são as profissões do futuro. As pessoas não gostam da sensação de se sentirem presas a algo. Muitas vezes, o CLT [profissional que atua com base na Consolidação das Leis do Trabalho] convencional, com cumprimento de horário presencial, acaba fornecendo essa sensação [de estar preso]", afirma.

"O desgaste de ter que ficar o tempo todo em um local, de todo processo de deslocamento, já era demais para o colaborador, sobretudo após a pandemia de Covid-9, quando muitos profissionais e empresas conseguiram experimentar quão valioso pode ser um trabalho home-office para ambas as partes", acrescenta.

Aliás, somente 5% dos profissionais que passaram a atuar por meio do teletrabalho pretendem deixar o sistema para voltar a trabalhar no ambiente corporativo, de acordo com um estudo do Talenses Group, realizado com 676 profissionais e obtido pelo Valor.

Para a empresa, prossegue Denis Macedo, o home office é vantajoso em vários requisitos, como economia com local, energia e internet. "Para o funcionário, a flexibilidade, que dispensa deslocamentos, possibilita oportunidade de trabalhar do local que desejar, o que oferece a sensação de liberdade e gera uma mentalidade saudável. A consequência é uma motivação maior, o que acompanha uma produção melhor deste colaborador", completa.

De fato, um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, observou que trabalhadores satisfeitos são até 31% mais produtivos, três vezes mais criativos e vendem 37% a mais em comparação a seus pares insatisfeitos. De forma similar, uma pesquisa da consultoria de gestão Bain & Company apontou que trabalhadores desmotivados podem ser 125% menos produtivos do que os colegas que desempenham suas atividades com inspiração e engajamento.

Na visão do especialista, para além da independência geográfica, o trabalho como nômade digital gera mais qualidade de vida, seja com tempo com a família e viagens - e a tendência é, de fato, só aumentar. "Entre diversas vantagens, os trabalhadores virtuais têm liberdade e flexibilidade. Mães, por exemplo, podem estar em casa com os filhos, otimizando o tempo. Assim, se ocorrer algum contratempo, essas profissionais têm a possibilidade de resolver tudo de perto, o que gera mais qualidade de vida", articula.

O idealizador do projeto Vida de Instagram sublinha que as profissões que mais permitem o trabalho como nômades digitais são: social media, analista de tráfego, vendas de afiliados e projetos que promovem comissionamento. Segundo ele, os interessados podem buscar a orientação de especialistas a fim de se prepararem para trabalhar no mercado virtual.

(Fonte: DINO) - 21/06/2022
Listando: 5 de 1248

Anuncie

Sobre o Portal da Santa Ifigênia

O Portal da Santa Ifigênia foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Santa Ifigênia no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de eletro-eletrônicos.